As 4 Fases do Compromisso – Fase 3: Compromisso Duradouro

Aquilo que mais tememos é frequentemente aquilo que mais precisamos na nossa evolução e o que precisamos atravessar para chegar ao que queremos.

Não desistas!

No blog anterior – fase 2 – falei-te um pouco da morte necessária para assumir um total compromisso com os nossos objetivos.

Porque é importante atravessar esse período de morte, esse grande momento de crise?

O ser humano adora hábitos, adora manter-se na sua zona de conforto e na mente sonhadora de muitos de nós existe esta ideia de que quando alcancemos os nossos objetivos tudo será perfeito e melhor, que vamos conseguir todos os nossos objetivos sem ter de mudar nada na nossa vida.

O que é uma grande ilusão!

Quando decidimos perder peso, encontrar o amor da nossa vida ou criar um negócio de sucesso – uma grande morte tem de acontecer e tem de ser vivida e atravessada.

Eu tive o grande privilégio – e destino – de acompanhar doentes em fase terminal e, embora na minha mente eu passasse a pensar que já tinha muita experiência na área, a verdade é que nem todos os doentes que acompanhei, nem o mestrado de cuidados paliativos, me prepararam para as grandes mortes que tive de operar na minha identidade para conquistar muitos dos meus sonhos.

Explico melhor:
– Em 2005 comecei a trabalhar como enfermeira a acompanhar pessoas em fim de vida;
– Em 2010 terminei o mestrado de cuidados paliativos e emigrei para a Arábia Saudita para ganhar mais dinheiro (e sair da escassez onde vivia);
– Em 2012 decidi voltar para Portugal :portugal: e em 2 anos, todo o dinheiro ganho desapareceu;
– Em 2014 assumi-me como terapeuta holística e consegui ganhar algum dinheiro, mas a trabalhar mais de 12h / dia!

Eu andava à procura de mais, já tinha alguma consciência espiritual, mas eu não fazia ideia que tinha de morrer para quem eu era para dar lugar a uma Nova Andreia que tivesse os resultados que ela queria.

Eu atravessei meio mundo para conquistar a abundância na minha vida na Arábia Saudita e quando voltei, lá se foram todos os ganhos…

Estava confusa – afinal eu já tinha feito de tudo e não conseguia sair da prisão financeira onde vivia… Já tinha emigrado mas afinal – ganhar mais dinheiro – não resolvia o meu problema… Qual seria então a solução?

Recordo-me do grande desespero que vivi em 2014, estava a tratar dos papéis para emigrar novamente até que uma amiga me disse:

“- Andreia, tu andas em círculos. Tens um desafio e foges. Já experimentaste ficar?”

Aquilo foi duro de ouvir.

Sim, eu estava habituada a mover-me rápido, mas “ficar”, “permanecer” onde dói? Isso era demais para mim…

Mas escutei e, pouco tempo depois, outra amiga trouxe-me uma sugestão totalmente nova e apesar do medo atroz do desconhecido, decidi saltar no abismo e comprometer-me verdadeiramente com a minha alma.

O compromisso duradouro da fase 3 requer um nível significativo de fé e entrega.

É aquele momento logo após a pequena morte, em que a vida nos pede mais de nós, mais fé, mais confiança, mais arriscar, mais loucura saudável, mais salto no abismo.

Nesses momentos, nós não temos todo o cenário, só temos uma pequena luz, um pequeno sinal da vida, uma intuição que o caminho é por ali, mas não há garantias.

Quando decidimos casar com o amor da nossa vida, nada nos garante que será para sempre.Quando eu em 2014 decidi ficar em Portugal e permanecer na minha dor e desespero, nada me garantia que o meu negócio seria um sucesso alguns anos mais tarde.

Mas se não fosse nesse momento ter tomado a decisão a favor da minha alma, mesmo no meio de tanto medo e incerteza, nada do que é a Escola da Abundância existiria neste momento.

Porque te conto isto?

Porque haverá um momento em que a dor da morte do eu antigo será tão dolorosa que te apetecerá desistir.

Haverá um momento em que a vida te pede esse salto de fé, sem garantias, um salto no abismo e todo o teu ego (identidade) se ativará para garantir que isso não acontece.

O ego não quer morrer. Tu não queres desapegar-te da tua identidade. Por muito que ela te limite, é o que tu conheces e sentes-te em segurança com ela.

Quando estamos apaixonados e nos é pedido esse compromisso duradouro, esse salto de fé, somos capazes de o dar, mas nos momentos em que a vida desafia a relação ao máximo, quão fácil é desistir?

Tanto num relacionamento amoroso como em relação aos nossos objetivos, depois da fase da paixão (fase 1) e do relacionamento sólido (fase 2), haverá um evento que despoleta uma crise importante que permitirá consolidar a fase do compromisso duradouro (fase 3).

Esta fase de consolidação e compromisso verdadeiro aconteceu-me no período entre 2014 e 2016 no meu negócio.

2014 decidi ficar, 2015 foi uma aventura de descobertas e experiências e em 2016 queria fugir completamente – a dor tornou-se intolerável e vivi aquilo que os místicos chamam a noite escura da alma.

Com tantos desafios, os dias custavam a passar, sentia-me asfixiada, custava “respirar” e tomei uma das decisões que mais impactou o meu nível de abundância mas que também impactou a minha identidade: Eu não poderia ser mais a mesma pessoa.

O velho eu tinha de morrer. E a vida pôs-me à prova de inúmeras formas. Eu resisti até que finalmente me entreguei, soltei o controlo e deixei que acontecesse o processo de morte e transformação.

E por mais que eu tivesse lido sobre o assunto, estudado o tema da morte no mestrado e até acompanhado pessoas em final de vida – eu não sabia nada do que estava a acontecer e estava aterrorizada.

Com muito apoio que recebi (onde decidi investir as minhas últimas poupanças) lá me mantive firme e não voltei para trás.

Essa noite escura da alma foi profundamente necessária para assumir o compromisso duradouro com o meu negócio de alma.

Foi desafiante e foi só a partir daí que o meu negócio começou mesmo a prosperar e que em 2017 consegui finalmente manifestar o meu companheiro de alma – depois de um profundo encontro entre o meu feminino e masculino, no ano anterior.

Quando a crise acontece, podes ter a certeza que algo de fabuloso se está a gerar no teu interior. Faz o teu melhor para te susteres aí e não fugires. Como diria uma mentora minha – a maior parte das pessoas desiste na hora 11, na hora de assumir o compromisso duradouro com aquilo que realmente desejamos.

E em relação à minha alimentação, perda de peso e escrita do meu livro – que são os meus grandes objetivos deste ano – sinto que estou exatamente nesta fase do compromisso duradouro.

E porque temos resistências?

Porque assumir este nível de compromisso exige uma mudança profunda nas nossas vidas!!

Vou tornar-me escritora!! Uauu por muito que seja o que a minha alma mais deseja, existem muitos ganhos secundários se eu não avançar nessa direção e muitos pensamentos contraditórios:

“- Para quê mudar se eu até estou bem?”
“- E se me dedicasse só a ser mãe?”

Mas no fundo, eu sei que a minha alma aspira este nível seguinte. A alma aspira e o ego teme. E como teme, faz de tudo para sabotar.

Nesta FASE DO COMPROMISSO DURADOURO, dou-te 3 dicas para atravessares os desafios sem te perderes no caminho:

1- Não desistas. Decide ficar, permanecer, persistir. Mesmo quando dói. Especialmente quando dói. Não fujas, não desistas.

Quando a dor se torna intolerável (o que já me aconteceu inúmeras vezes), eu repito para mim mesma:

“- Tranquila Andreia, isso passa, só precisas de fazer 1 coisa: não desistir.”

E tudo o resto é bónus. Para além disso, consegues fazer a cama? Boa, é um bónus! Consegues escrever um email – outro bónus!!

Quando estás em morte profunda, lembra-te, o único que é preciso é não desistir.

2- Dá-te espaço. A morte (ou seja, a transformação) para ocorrer, ela precisa de espaço.

Reserva uns minutos a cada dia para não fazer nada. Senta-te num local e contempla.

Sei que pode ser desafiante quando tens tanto para fazer, mas confia que esses minutos são valiosos para dar espaço à tua alma para te ajudar a superar a crise. Respira, aprecia a natureza, sente a tua respiração e a beleza do que te rodeia.

Às vezes, “obrigo-me” a essa disrupção, especialmente quando a mente diz que não tenho tempo, eu digo:

“- Vamos lá Andreia, levanta-te, tens todo o tempo do mundo e agora vais dar uma volta ou simplesmente contemplar a vida lá fora!”

Assim consegues dar o espaço necessário à grande morte, que já está a ocorrer no teu interior, para dar lugar ao teu maravilhoso novo eu.

3- Conecta-te com a esperança da nova realidade.

Como será maravilhoso uma vez que conseguires a realização que tanto desejas?

Deixa que essa visão e sensação te inspire.

Se estás a sentir dor e crise, sabe que ela vem por bem, é aqui que eu me recordo a mim mesma:

“- Andreia, esta tempestade tem de acontecer para o ar vir novamente puro, vais amar o que vem a seguir, tem paciência.”

Conectar com a nova realidade de uma forma amorosa e carinhosa, vai ajudar-te a encontrar o teu lugar de nível seguinte, e, lentamente, ajudar-te a fazer a transição para a concretização real e objetiva dos teus desejos.

É um processo trabalhoso este do compromisso duradouro mas vale a pena, se vale!! Esta é a base para todas as tuas conquistas!!

Na verdade, as pessoas não têm medo do compromisso, têm medo é da morte que exige o compromisso. Da dissolução do ego para dar lugar a algo novo. Da entrega necessária, do “seja feita a tua vontade e não a minha”, da fusão da nossa vontade humana com a vontade divina.

No fundo, aqui vivemos o casamento com a dimensão espiritual. Existem outras forças a atuar sobre nós. Deus está connosco. É nesses momentos desafiantes que todas as ajudas estão ao nosso redor.

Garante que tens o coração suficientemente aberto para sentires que não estás só e que a ajuda está a caminho.

Na fase do compromisso duradouro, sabes que não tens outra alternativa a não ser entregares-te. Ou foges e lá se vai o compromisso ou… Entregas-te. Rendes-te.

E aí é quando a magia acontece.

Começas a sentir a magia do casamento e o poder do matrimónio, não há nada já que te separe – o compromisso é firme e duradouro! A união é total.

Esse é um dos meus segredos para cocriar tudo o que desejo e que está alinhado com a minha alma – a capacidade de morrer e render-me ao divino, soltar totalmente e permitir a travessia da crise ao nível seguinte. Escolho confiar em Deus e que tudo vai correr bem e atiro-me!

É o que tenho feito ultimamente em relação à alimentação e ao livro – ohh meus Deus! Isto está mesmo a entrenhar-se e já vou sentindo essa união total aos meus objetivos.

E agora é a tua vez! Adorava que partilhasses o teu processo e saber mais de ti, conta-me:

– Que crise te surge neste momento e como garantes que vais permanecer em vez de fugir? (Fase 3)

Na próxima semana, escrever-te-ei sobre a Fase 4 – Consciência das Tentações 🙂 e vamos encerrar com toda a força, para tornares os teus compromissos forças indestrutíveis na tua vida!

Força, coragem e fé! Tu consegues!!

Abraço imenso,

Andreia

2 comentários em “As 4 Fases do Compromisso – Fase 3: Compromisso Duradouro”

Deixe um comentário

Importante: Este site faz uso de cookies para oferecer-te uma melhor experiência.

Queres receber conteúdos que te vão ajudar a fazer a tua Jornada pela Abundância?