Sim, o dinheiro é sinónimo de felicidade e liberdade

Será que o dinheiro é sinónimo de felicidade e de liberdade?

Existe necessidade de unir o nosso amor ao dinheiro com a nossa missão de alma. Estas duas energias alimentam-se entre si.

Se a minha missão é ajudar milhares de pessoas, é natural que eu me torne milionária. E isso não tem de causar-me medo, culpa ou incentivar qualquer tipo de agressão verbal ou crítica. Mas não é o que acontece. Se vemos alguém a ganhar muito dinheiro, ainda temos tendência para a colocar em causa e pensar: será que aquela pessoa está a enganar alguém? 

Temos padrões muito enraizados que é urgente pôr em causa. Como era a relação dos teus pais com o dinheiro? Que crenças herdaste? O dinheiro assim como a abundância é ilimitado na nossa vida. É preciso saber dar e saber receber. É preciso começar a contarmos novas histórias a nós mesmos sobre o dinheiro.

Dinheiro é sinónimo de felicidade, saúde, abundância, alegria e liberdade. Escassez é sinónimo de vitimização, desresponsabilização, medo, falta de confiança, paralisação. 

Liberta-te do sistema de crenças

É preciso olhar para fora do nosso sistema de crenças. Dos Estados Unidos, temos a influência de Martin Luther King com o seu celebre discurso “I have a dream” e, às vezes, estas coisas levam-me a pensar que a cultura onde nascemos tem também uma influência enorme em quem somos!

Sair de Portugal para fazer Erasmus na Suécia e, mais recentemente, sair para trabalhar na Arábia Saudita, fez-me ter contacto com outras culturas e conhecer pessoas de todos os cantos do mundo. Em comparação, poderia contar muitas histórias que me chocaram. 

Trouxe no coração que viver em Portugal é das maiores dádivas que podemos ter. Portugal é um país perfeito. Mas, a nível profissional, a valorização é tão baixa que, em comparação com outros países, eu sentia-me escravizada a trabalhar como enfermeira cá.

Eu dava tudo – trabalhei em Cuidados Paliativos e amo tanto as pessoas! Mas, como basicamente todos os enfermeiros que conheço, amar o ser humano é o nosso dom mas também a nossa “maldição”.

Voltei da Arábia Saudita e não consegui voltar a trabalhar no sistema. Não consegui porque não quis aprisionar-me novamente. Já lá vão 5 anos desde que voltei e tem sido uma grande aventura.

Hoje estou curada da “maldição” que sentia em querer ajudar toda a gente sem sequer pensar em mim, desvalorizando o meu bem-estar, a minha riqueza, a minha abundância. Aprendi, na minha própria pele, que a saúde e a abundância são uma escolha. É uma decisão que tomamos e vamos em frente.

A responsabilidade é a chave da liberdade. A saúde é uma responsabilidade partilhada. Eu não venho salvar toda a gente. Eu posso apenas facilitar ajuda e apoio a quem está profundamente comprometido com a sua cura e evolução. Ninguém tem de fazer nada por ninguém.

Espiritualmente falando, todos temos certos dons e aprendizagens e é nossa responsabilidade procurar forma de ultrapassar os desafios e transformar as aprendizagens em capacidades.

Avalia o valor real do teu trabalho

A alma é ilimitada! A alma vem sempre em primeiro lugar. Não podemos “vender” a nossa alma por dinheiro, isso é fundamental! Trabalhar de forma justa, íntegra e abundante é a maior missão que trazemos ao mundo. Integrar riqueza e espiritualidade. Servir o mundo com qualidade e receber o valor justo sem culpa.

Se o nosso trabalho é de qualidade, é justo receber em qualidade. Se queremos uns sapatos de menos qualidade, sabemos onde ir? E se queremos uns sapatos com ótima qualidade?

Sabemos que o dinheiro regula o valor das coisas, é natural. Sentimos é uma resistência maior em ver mais valor no nosso trabalho. Avalia: que qualidade tem o trabalho que produzes, que resultados tens?

E que valor dás ao teu trabalho? É o valor real dele?

Para mim tem sido uma grande viagem de autoconsciência acerca do meu valor, o facto de ir lá fora e trabalhar noutros países. Mostrou-me o quanto os estrangeiros nos valorizam (temos um dos melhores sistemas de ensino do mundo, os enfermeiros portugueses são reconhecidos pelo sua qualidade e muito queridos em vários países) e o quão pouco nos valorizamos a nós próprios.

O nosso sistema não valoriza o que tem, nem nós temos o hábito de nos valorizarmos de verdade. Existe muita queixa e pouca ação!

Viajar-trouxe-me-autoconsciência-quanto-ao-valor-do-meu-trabalho-1024x683
Já tomaste a tua decisão?

Eu não sou uma pessoa especial ou diferente de ti. Simplesmente acreditei em mim, escutei a minha alma e pus-me a trabalhar desde o meu interior. Somos especiais pelo facto de sermos únicos e não pelas nossas capacidades de chegar a uma realização plena da nossa alma.

Todos temos a centelha divina e, se estás a ler este artigo, é porque já chegaste bem longe naquilo que é o teu mundo de possibilidades e o teu questionamento sobre o mundo.

Se ainda não tomaste nenhuma decisão séria a respeito do teu crescimento e evolução em 2018, esta é mais uma oportunidade que a Vida te dá. Vai além dos teus bloqueios e crenças limitantes.

Fecha os olhos, abre a tua visão interior e pergunta: “Onde me levas tu minha querida alma?”.Ultrapassa os Bloqueios que te impedem de Manifestar o teu Máximo Potencial de Abundância  é o workshop gratuito que preparei com toda a minha alma para pessoas como tu, que querem dar um salto nas suas vidas, um salto quântico.

17 comentários em “Sim, o dinheiro é sinónimo de felicidade e liberdade”

  1. Olá Andreia, cheguei a si através do facebook. Li o que relatava, a sua história de vida, e fiquei admirada por ter conseguido uma vida tão boa e sendo tão jovem ainda !
    A minha vida, apesar da família maravilhosa que tenho, tem sido difícil. Principalmente a minha vida financeira é um caos. Posso dizer que neste momento estou pendente da minha filha para sobreviver. Cheguei a um ponto em que não tenho nada, não tenho dinheiro nem para tomar um café, não tenho casa e não tenho carro. Tenho 60 anos e nunca consegui aquilo que queria da minha vida. Estou desempregada e já não recebo o subsídio de desemprego. Tentei requerer a reforma mas foi indeferido. Já li livros sobre o poder da mente e subconsciente e tentei fazer algumas coisas, principalmente para melhorar a minha vida financeira e não consegui absolutamente nada. Em vez de melhorar piorava. Em vez de receber cheques, recebia contas para pagar. Quando pensava que já não tinha nada para pagar, recebia mais uma conta para pagar vindo do nada. Os anos foram passando e acabei por pensar que nada daquilo era verdade e que sou perseguida pela má sorte ou talvez pelo meu Karma que não me deixa prosperar e acabei por me resignar. Eu sei que, apesar de tudo, devo agradecer a Deus por a família que tenho e também porque sei que há pessoas em muito piores condições. Contudo não consigo sentir muita alegria pois não fiz nada do que queria em todos estes anos. Agora sinto.me velha para conseguir realizar alguma coisa na minha vida. Para além de não ter dinheiro, não tenho capacidades nem estudos suficientes para realizar o que quer que seja ! Pode parecer ridículo, mas sempre senti que procurava algo que nunca encontrei ! Eu tento ter alegria, ver e sentir o belo da natureza, a minha família, os animais, as pessoas, mas só sinto um vazio dentro de mim e penso que qual o significado da vida ? Nascer, viver uns anos numa correria desenfreada para termos o necessário para sobreviver e depois morrer ? É este o propósito da vida ?

    Responder
    • Olá querida,
      Digamos que se trazemos um “programa” de escassez e luta e sobrevivência, podemos esperar atrair luta e escassez e cada vez mais contas para pagar. Compreendo que não é fácil, mas há sempre uma saída. Sempre. Pode ser ir à luta, sair da zona de conforto e investir tempo e energia em algo que nunca fizemos antes. Procura dentro e nunca desistas. É a tua vida, abraça-a, nunca desistas de ti.

      Responder

Responder a Julia Cancelar resposta

error: Content is protected !!
Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.